domingo, 8 de agosto de 2010

Eu sempre achei que trocar músicas, trocar "mix tapes", "mix cds" etc, criasse um certo laço de intimidade diferente. Esses dias achei uma caixa de fitas cassetes antigas, que meu pai gravava pra minha mãe. Hoje ele grava CDs, mas a prática continua. Nos filmes, toda vez que existe essa troca de música, existe um certo romance.

Eu sempre gostei de fazer cds pra outras pessoas. A gente coloca um pouco da gente ali. É quase que uma troca de almas. Não sei se é pq a música sempre foi uma parte enorme de mim. Eu sinto como se estivesse te mostrando um pouco de mim. Um pouco do meu íntimo. Um pouco do que se passa dentro de mim. Lembro da primeira fita cassete que uma amiga gravou pra mim, pra me "ensinar" um pouco de rock'n roll. Veio com cartinha e tudo mais (lembra, tay?!). Ela é minha melhor amiga até hoje.

Sabe... Sempre achei q eu fosse me casar com alguém q fizesse CDs pra mim.

2 comentários:

livia_riol@hotmail.com disse...

Hi, Kikins!!! Quaaaanto tempo que eu não vinha aqui... aproveito pra deixar um oi e um beijo!!!
Lívia

Damine disse...

Fofo!
Também adoro troca de músicas.

Bom... meu marido não grava CDs pra mim.

Mas compensa com outras coisas. Tem que compensar.

Adorei o blog. ;)