sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Reunião da ABA

Oi, meu nome é Kiki e eu sou uma Burra (Burralda?) Anônima.

Fazia 8 meses que eu não via meu ex namorado mas ontem eu tive uma recaída.

Humpf.

Eu sou muito Alice no País das Maravilhas. Curiosa até a morte. Antes de ontem ele me ligou, queria me ver, eu disse que estaria ocupada, ocupadíssima, sem intervalos, não tenho tempo, I'm sorry. Mas as minhas aulas de terça e quinta não começaram de vez e eu tinha 2 horas de intervalo. No dia seguinte (ontem), mandei msg e pedi pra ele aparecer na escola às 5 da tarde e tomaríamos um café. Eu precisava saber como seria.

Nós tomamos um café e fofocamos sobre tudo o que aconteceu nos últimos meses. Com a gente e com os outros. Depois voltamos pro carro, onde ele me beijou e disse que não havia ninguém na vida dele, que eu era a única em quem ele pensava, minhas msgs eram as únicas que ele guardava e que morria de saudades. Ele falou de voltar, fez planos e tudo mais. Eu não comentei. Só sorri e disse que dali a 8 meses nos veríamos de novo. Ele pediu pra eu ligar no dia seguinte. Eu disse que no máximo mandaria uma msg. Ele riu e disse, "Tudo bem, então me manda uma mensagem." Eu mandei. Dizendo que foi mto bom vê-lo de novo e que ficaria com saudades até Abril do ano q vem.

Ele não respondeu, nem ligou, nem escreveu - e nem vai. Talvez ele fique na dele por uns 3 meses e então ele me ligue de novo. Ele vai querer me ver de novo. É cômodo. A cada x meses ele me liga, a gente se vê, ele mata a vontade, quer dizer, saudade e de vez em qdo ele finge que quer voltar.

O fato é que eu passei uns 4 meses me convencendo que a gente não daria certo mesmo, depois mais 4 meses fingindo que ele não existe. Não é justo ele aparecer qdo bem entender.

E veja bem... a responsabilidade é minha. Se eu tivesse mantido a resposta de que daria aulas o dia inteiro, nada disso teria acontecido. Mas eu também nunca saberia como seria vê-lo de novo e eu poderia ser pega de surpresa qlqr outro dia.

Agora eu sei que, por mais que seja bom ficar com ele, não vale a pena. Eu fico chateada no dia seguinte, fico pensando em tudo o que passou e em como o único fruto disso foi uma ferida remexida.

Por que se torturar desse jeito, né?

O chato é que isso tirou totalmente a empolgação do cara novo que não é gay. Mas ah, como diria a minha bff (haha): o mundo dá voltas.

E de um jeito ou de outro, as lições se repetem. A gente vai passar pelas mesmas situações até aprendermos o q é q a gente tem q fazer. Não porque a vida é sacana ou porque o universo conspira, mas como diria John Mayer: the heart of life is good. Um bom pai e uma boa mãe não passam a mão na cabeça dos filhos, mas fazem de tudo para que eles cresçam e aprendam com a vida. Um dos jeitos de aprender é lidar com as consequências de suas ações. Isso traz responsabilidade. Deus toma conta de todas as coisas e eu acredito que Ele nos dá oportunidades de aprender. E o tal do livre arbítrio é a nossa responsabilidade em tomar nossas próprias decisões. Não acredito em castigo divino ou qlqr coisa do gênero. Acredito que cada um de nós toma suas próprias decisões e lida com seus erros e acertos.

É muito fácil culpar Deus ou o universo ou a vida em si. Mas enquanto fizermos isso, não vamos aprender.

Seria muito fácil culpar meu ex. "Pq ele me ligou" ou coisas do tipo. Eu prefiro assumir que eu fui porque quis e não vou mais pq não quero mais! haha

Eu ainda vou errar mto e ficar apaixonadinha e burra mtas vezes (assim espero), mas que sejam erros diferentes - pra que venham aprendizados diferentes.

E que assim seja.

(Mas se for pra ser só esperta agora, eu tbm aceito, ok?!)

3 comentários:

Margarida disse...

Já aprendi (ainda que não tenha aceitado) que há pessoas que são assim, precisam do seu amor simplesmente porque faz bem para o ego, não importando o quanto te machuque essas aparições e sumiços.
Mas um dia a gente aceita e não cai mais nessas, né? Assim espero.
Boa sorte por aí ;)
Beijo!

Lu Rios ; ) disse...

falou e disse! a gente é responsável pelo que faz. PONTO.
E enquanto os sete meses não passam e a hora de fazer diferente não chega, se joga no "Johnny-Depp-novo-que-não-é-gay"! hahahaha

Bu disse...

Nossa, espero que seu ex não seja bipolar (te explico depois).
De qualquer forma, a gente sempre cede (por isso vc o viu). A gente duvida, duvida, mas, no fundo, sempre cremos nas pessoas. Sempre achamos que tudo pode ser diferente.

Mas o mais importante é que aprendemos muito com esses erros.

Antes errar do que ter a dúvida de como teria sido...

love u