sábado, 10 de janeiro de 2009

Veja bem, meu bem

(Post comprido, cheio de pensamentos soltos e reflexões bobocas. Devo estar ainda na depressão pós praia.)


Ano passado as coisas não terminaram exatamente bem. Em meados de Junho eu saí do emprego q amava e perdi o amor da minha vida de vez. Dei a volta por cima, amei de novo, comecei a trabalhar na minha área. Ae não sei onde tudo começou a dar errado de novo. Descobri q rolam várias sacanagens no emprego em termos de pagamento e direitos, meu novo amor me abandonou e fiquei frustrada, sem dinheiro e de coração partido.

A gente cai e levanta.

O ano começou muito bem. Fui pro Guarujá dia 31 e sacudi toda a deprê. Entre Jack Johnson, mar, caminhadas, livros, caipirinhas, porções de camarão e surfistas gatinhos, resolvi não pensar mais nos problemas e só descansar de tudo.

Quando voltei foi a pior sensação do mundo. A sensação de q eu estava só me escondendo e todos os problemas estavam aqui, me esperando. Dei de cara com o ex amor da minha vida na garagem. Tem uma correspondencia dele em cima do meu piano. Já teve dias, ano passado, em q acordei com o carro dele na garagem ou o tio dele em cima do telhado. E to falando sério! Parece perseguição. Juro q não precisava dele na garagem. Não tão cedo no ano.

No mesmo dia voltei a trabalhar e a realidade me pegou em cheio: aqui não tem nem sombra do Guarujá. Nada. Nem mar. Nem caipirinha. Nem bonitões. Nem shorts. Nem havaianas. Só entrevistas de emprego, livros, contas.

Pois é. Difícil acostumar. Queria poder viver na praia.

(Acho q ainda to com um pouquinho da depressão pós praia.)

Mas nada q uma semana não resolva. Já passou o grosso da crise. Ainda to pensando q eu só faço merda e q não deveria ter feito um monte de coisa q eu fiz, q deveria ter feito um monte de coisa q não fiz...

E to tentando deixar os dias mais leves. To dando aula pra uma amiga fofa q torna "dar aula" parecer "tomar um café com uma amiga". E olha q a gente só conversa de bobeiras no intervalinho. Hoje dei aula, tomei uma cervejinha, assisti "Marley e eu" e fui à igreja. Agora to aqui, me sentindo leve e bobona. Sem saber direito o q eu quero pra esse ano. Sem entender direito como pode ter acontecido tanta coisa em 10 dias. Pensando muito sem chegar à conclusão nenhuma. E pouco me importando.

Ando desbocada, desinteressada e zen. Pq eu não aguento mais cobrança, stress, pressão. Então eu ignoro, sabendo q não tá tudo bem mas q logo tudo se resolve. To me esforçando pra conseguir alunos, to indo atrás de outro emprego, to querendo deixar o coração quietinho e to tentando me aquietar em Deus (juro q to tentando).

Não adianta estressar com coisas q fogem do nosso controle. Fiquei toda estressada pq beijei um cara no Guarujá e não queria q meu ex namorado soubesse pq sabia q ele ia ficar chateado. Agora to me lixando. Ele q terminou comigo, eu to solteira, eu tava com vontade e eu lido com a minha ferida do jeito q dá. Ele não tem nada com isso. Se achar ruim, me processa. (E só uma observação: foi tão boooommmmm.......)

Eu só quero descansar. Queria passar 1 mês aqui em casa, pra jogar The Sims, assistir Friends e filmes antigos. Queria férias de verdade. De tudo. Mas não dá. O máximo q a gente tem são 4 dias no Guarujá com amigas. Confesso q aproveitei pra não pensar em nada e pra matar vontades.

E agora eu desejo mais alunos particulares. Espero q a Val continue, q o Ci comece, q a Paula retome e q a escola q me entrevistou me chame (afinal, é só um dia). Espero ter mais trabalhos de tradução. Espero voltar pro Guaru em fevereiro. Espero tirar meu passaporte e viajar pro exterior. E espero q a turma q cuide das resoluções de ano novo esteja lembrando da minha mistura de George Clooney com Johnny Depp e q 2009 seja cheio de loucuras agradáveis.

3 comentários:

Karina disse...

Baby,baby...o começo é sempre dificil....os anos começam assim,a ente tem a presão de tentar fazer diferente,ser melhor em tudo....mas ainda tem aquela coisa do ano passado,que ainda fica amrtelando na nossa cabeça.Então,começar de novo do ponto aonde a gente parou é beem dificil e um pouco frustrante,rs...mas depois tudo se ajeita.Amo vc....to aqueeeee......e eu preciso de uma teacher de english...vc cobra muito caro?
Ahhh e que dia a gente vai memso...é quinta?

Joyce disse...

KiKi,
É sempre assim, o ano começa e a gente faz mil planos pra mudar etc etc
mas uma hora a gente se da conta que tudo está a mesma coisa e que nós estamos com os mesmos pensamentos (e atitudes)
Eu gosto mto do seu blog, porq eu me vejo mto em vc, sabe?!

:)

Margarida disse...

Você mesma já disse: "a gente cai e levanta". Você sai dessa, com certeza.
Realmente, não adianta fugir dos problemas. E os tombos são necessários para que a gente cresça.
Beijo!