terça-feira, 16 de outubro de 2012

A vida não pára.



Eu tento olhar pra frente, sempre que eu posso. Às vezes, me pego olhando pra trás e refletindo em algumas coisas. Ando muito nostálgica, com motivo. Algumas pessoas apareceram, recebi uns recadinhos, achei umas fotos. Tudo ao mesmo tempo. E me peguei olhando pra trás, como quem assiste um filme - bem interessante, por sinal - da vida de outra pessoa.

Outra pessoa. Não sou mais eu.

Olho pro meu marido e é tão engraçado pensar que um dia nós não estivemos juntos. Não temos nem um ano de casados, mas já não soa tão estranho não dar satisfação pra mãe e pai, não voltar pra casa pra minha família, não cozinhar pra 4 pessoas todos os dias. Minha rotina hoje já é o natural pra mim.

Ao mesmo tempo, tenho me sentindo meio perdida. Um aluno me disse um dia que casamento é perder um pouco da sua individualidade e, que ao ter filhos, você perde ela de vez.

Ao mesmo tem em que é bom perder a individualidade, tem horas que não me reconheço.

E tenho me sentindo aflita em não conseguir mais me sentir como eu mesma. Eu não escuto mais música, não leio mais livros, não saio mais, não escrevo mais. Me sinto meio isolada, meio ignorante, meio "emburrecida".

Minha meta é me resgatar até o final do ano. Nesse olhar para o passado, descobri que estou com saudades de mim mesma.

Nenhum comentário: